O Trabalho Docente em Grupos Empresariais de Ensino Superior e o Mercado de Ações na Bolsa de Valores: Um Estudo a Partir dos Conflitos

Thayse Gomes, Roberto Leher e Hellen Balbinotti Costa

RESUMO: O presente artigo sumariza a identificação dos conflitos envolvendo o trabalho docente nos grupos educacionais de capital aberto, com ações na bolsa de valores [B]³ e que atuam na educação superior brasileira, especialmente: Ânima, Estácio, Kroton e Ser Educacional. A construção do objeto partiu da sistematização da empiria, por meio de metodologia específica para análise de conflitos sociais. A pesquisa possibilitou coligir conflitos existentes nessas organizações de ensino e que envolvem docentes e estudantes. O levantamento foi realizado a partir de reportagens que mencionavam a ocorrência de conflitos nas organizações estudadas (2009-2018). No total foram localizadas 102 reportagens que relatavam 56 conflitos. A partir desse levantamento, foi possível identificar que os docentes atuantes nesses grupos vivenciam reformas pedagógicas que favorecem disciplinas online, superlotação nas salas de aula e demissões. Para a caracterização dos grupos educacionais a pesquisa utilizou as informações do Censo da Educação Superior, o portal eletrônico da bolsa de valores, os sites dos grupos empresariais selecionados, revistas e jornais especializados. A investigação conclui que a análise dos conflitos permite compreender mudanças advindas do controle financeiro das organizações de ensino.
Palavras-chave: Trabalho docente; Ensino Superior; Grupos empresariais educacionais; Empresa de capital aberto; Conflitos

Disponível em: https://epaa.asu.edu/ojs/article/view/4902/2366