Mercantilização do ensino superior brasileiro e o uso do EaD como estratégia expansionista

Larissa Dahmer Pereira (ESS/UFF) e Andrea Cristina Viana de Souza

Resumo: O artigo analisa o perfil de expansão do ensino superior brasileiro nas duas últimas décadas e problematiza o uso do Ensino a Distância (EaD) como estratégia de expansão. Apresentamos dados gerais do ensino superior, como matrículas por categoria administrativa, organização acadêmica e modalidade de ensino, coletados nas Sinopses Estatísticas da Educação Superior. Em seguida, expomos dados específicos sobre o crescimento do EaD no ensino superior brasileiro, problematizando o seu uso como estratégia central de aumento das estatísticas educacionais, em um contexto de contrarreforma do Estado e de forte ajuste fiscal. Como resultados, demonstramos que o perfil de acesso ao EaD no Brasil ocorre majoritariamente por meio de matrículas no setor privado, mercantil, em cursos rápidos (tecnólogos) e de baixo custo/alta lucratividade. Desvelamos, ainda, que as matrículas encontram-se concentradas em regiões populosas, como sudeste e sul, o que denota que o discurso do uso do EaD como forma de alcançar populações em regiões remotas já não se mostra coerente com o perfil das matrículas.

Palavras-chaves: Expansão do ensino superior. Mercantilização. Ensino a Distância.

Disponível em http://www.niepmarx.blog.br/MM2017/anais2017/MC30/mc301.pdf