MEGAEVENTOS ESPORTIVOS E INDÚSTRIA BÉLICA: expressões do capitalismo contemporâneo

 Bruno Gawryszewski, Adriana Machado Penna, Marcelo Paula de Melo 

Resumo: Os megaeventos esportivos estão fortemente arraigados nas relações sociais capitalistas há pelo menos três décadas. O artigo discute a realização de tais eventos e os compreende como uma ferramenta do capital para manter ciclo de reprodução de valor e, consequentemente, adiar crises de superprodução. Para isso, é destacado o alto investimento das esferas de governo na indústria de armamentos e tecnologias bélicas a fim de implementar um modelo de segurança pública que preza pelo domínio territorial e militarizado, particularizando o caso do município do Rio de Janeiro, a partir da ocupação de favelas pelas Unidades de Polícia Pacificadora.

Palavras-chave: megaeventos esportivos, capitalismo, indústria bélica, domínio territorial-militar

Download: http://www.uff.br/trabalhonecessario/images/TN_21/7_Artigo.pdf