Formação continuada dos professores: análise da agenda do “Todos Pela Educação” e de sua atuação como forma de partido

Download: http://www.educacao.ufrj.br/ppge/disserta%C3%A7%C3%B5es2016/dDeboraSabina.pdf


Débora Sabina da Silva Geraldo

Orientador: Prof. Roberto Leher

Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2016

Esta dissertação analisa tensões presentes na agenda para a formação continuada dos professores elaborada pelo “Todos pela Educação”. Pautando-se em Gramsci (2000; 2011) compreendemos suas atuações como de um partido que disputa hegemonia no contexto de ofensiva do capital. A dissertação encontra-se estruturada em três capítulos. No primeiro, buscamos compreender a formação continuada no contexto brasileiro; incidimos sobre significados de termos que historicamente foram usados atrelados à formação continuada. Também pensamos sobre a maneira na qual formação continuada aparece em documentos oficiais a nível federal, como na Lei de Diretrizes e Bases da Educação de 1996, no Plano Nacional de Educação de 2014 e nos sites do Ministério da Educação e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Posteriormente, refletimos sobre a vivência da formação continuada na contemporaneidade. No segundo capítulo, os referenciais teóricos são Coutinho (2010), Gramsci (2000; 2011), Motta (2011), Leher (2003), Saviani (2007), Freitas (2009), Martins (2013) e Silva (2009) a fim de refletirmos sobre o contexto de surgimento do “Todos pela Educação” e de suas ações na forma de partido a fim de obter consenso e hegemonia. No terceiro capítulo, percebemos a formação continuada como elemento estratégico do “Todos pela Educação” fazendo parte de sua agenda; a vinculação com preceitos de organismos internacionais e tensões com a percepção de docentes. A base teórica para a análise consiste em Shiroma e Evangelista (2011), Leher e Lopes (2008), Leher e Evangelista (2012), Ramos (2011), Paulo Freire (1996), Pimenta e Lima (2006), Leher (2015) e Barreto (2010).

Palavras-chave: Formação continuada; Professores; Todos pela Educação; Partido; Agenda.