Financiamento e heteronomia na pesquisa acadêmica (1950-1990)

Simone Silva e Roberto Leher (UFRJ)

Resumo: O presente artigo propõe uma periodização da produção científica no Brasil (1950-1990) até o momento da institucionalização da pesquisa por meio de editais, em três períodos: 1) Da constituição dos conselhos de pesquisa na década de 1950 até o golpe civil-militar de 1964; 2) Do Parecer nº 977/65 e da reforma universitária de 1968 até a institucionalização do III PBDCT e, por último, 3) da entrada em cena dos editais de pesquisa em 1984 até 1990. O estudo propugna que as políticas científico-tecnológicas foram construídas pelos governos brasileiros com a participação de parte da intelectualidade das universidades e em parceria com os governos e burguesias dos países centrais, contando com o Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento. Tais parcerias influenciaram os conselhos, a regulamentação da pós-graduação e da universidade e contribuíram para a implantação do modelo de financiamento da pesquisa que, conforme o artigo, institucionalizou a heteronomia acadêmica.

Palavras-chave: política de ciência e tecnologia; editais de pesquisa; financiamento; desenvolvimentismo; heteronomia.

Download:https://docs.google.com/file/d/0B0–tS_Kbeq-eUg2X3I1OVpvd3c/edit