‘CIENTISTAS DO AMANHÃ’: PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA NA FORMAÇÃO CIENTÍFICA MUNICIPAL NO RIO DE JANEIRO

Resumo Neste estudo problematizamos uma parceria público-privada voltada para o Ensino de Ciências em 160 escolas municipais, onde buscamos compreender os objetivos estabelecidos entre as partes e a visão de formação científica que se manifesta em documentos diversos. Analisaremos os enunciados do discurso empresarial e do discurso da Secretaria Municipal de Educação, que selecionou a parceria e nela investe recursos públicos destinados a Educação Básica. Verificamos que o método central para a formação científica ainda é o empírio-indutivista, onde o conhecimento é mediado pela observação e pela atividade experimental. Reconhecemos limites e alternativas à parceria para a formação científica no ensino fundamental principalmente em relação à perda da autonomia docente. Observamos nova roupagem para a velha metodologia experimental, superficialidade na relação teoria-prática, inexistência de interdisciplinaridade, redução do fazer científico a ‘receitas’ prontas, aproximam-se da concepção objetiva e determinista do pensamento positivista já amplamente criticado pelas pesquisas do campo.

Palavras-chave: parcerias, educação científica, método.

Disponível em http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/ixenpec/atas/resumos/R0295-1.pdf