A educação profissional no estado do Rio de Janeiro: um estudo sobre a formação da força de trabalho


GT DO COLEMARX: Empresariamento da educação pública

COORDENAÇÃO:
Bruno Gawryszewski – brunogawry@gmail.com

INICIAÇÃO CIENTÍFICA:
Ana Luiza da Costa Lima Vidal
Marília Bittencourt Bovolenta
Vinícius de Moraes Campos de Azevedo

RESUMO:
Trata-se de uma pesquisa em andamento e que tem como objetivo investigar a formação da força de trabalho no estado do Rio de Janeiro, considerando a interface entre a oferta de cursos e matrículas da educação profissional e as atividades econômicas no âmbito fluminense. Na primeira fase da pesquisa, foi possível constatar que que, por dados de 2018, a educação profissional dispunha de 170.870 matrículas em 6.215 cursos identificados.

Ao relacionar a oferta de cursos técnicos com as atividades econômicas, foi possível concluir que, embora as atividades econômicas influenciem em relação à oferta de cursos, tais atividades não são determinantes, o que não permite inferir uma relação de causalidade entre um fator e o outro. Os resultados preliminares levaram à conclusão de que existem outros fatores que contribuem para o resultado, tais como a influência de políticos e elite locais para a abertura de instituições de ensino na região, a ideologia da empregabilidade e o baixo padrão de remuneração da força de trabalho fluminense.

Levando-se em conta que a pesquisa é legatária de uma história que já está em curso, pretende-se executar os seguintes objetivos entre 2019 e 2021: 1) Prosseguir o acompanhamento e análise das políticas educacionais em nível federal e estadual para a educação profissional; 2) Caracterizar a atividade de empreendedorismo, que tem sido estimulada por iniciativas do setor empresarial e de esferas governamentais; 3) Compreender o que faz dos cursos técnicos com mais matrículas serem tão ofertados no estado do Rio de Janeiro.

PREVISÃO DE CONCLUSÃO: em andamento